Conteúdos

 

 

 

 

 

 

Home > Conteúdos

7 DICAS PARA GESTORES EM UMA ECONOMIA AQUECIDA
14/06/2010

Dica 1: Ajuste o tamanho da sua operação
Algumas empresas passaram por momentos difíceis nos últimos tempos e demitiram muitos profissionais por causa da crise. Agora que os negócios retomam o ritmo de crescimento, muitas empresas ainda não ajustaram seu quadro de colaboradores, deixando seus melhores profissionais sobrecarregados. O acúmulo de funções, que já foi uma saída plausível numa economia em recessão, agora pode ser prejudicial à saúde de sua empresa e de seus colaboradores. Segundo William Monteath, gerente de recrutamento do Rio de Janeiro, hoje muitas empresas não conseguem aumentar sua capacidade produtiva por gargalos de mão de obra. É preciso fazer um planejamento e uma análise de diferentes cenários e pensar no dimensionamento correto das equipes. Não contrate ou demita olhando no curto prazo. Tome as decisões levando em consideração seus objetivos de médio e longo prazos. Hoje, a busca por talentos é uma prioridade para as empresas que demitiram além da conta. Se demitir foi difícil, a contratação não pode ser feita sem planejamento.
Dica 2: Ao contratar, seja criterioso na definição do perfil
Antes de iniciar um processo de recrutamento, tenha certeza da necessidade de sua empresa, o que se busca no profissional e quais atividades e competências que ele deve ter. Além disso, tenha certeza de que alinhou o perfil com as outras áreas envolvidas no recrutamento. Pode parecer uma atividade simples, mas as próximas dicas aumentam as chances de uma contratação bem-sucedida.
Segundo Adriana Cambiaghi, gerente de recrutamento da divisão de marketing e vendas, antes de iniciar uma busca pelo profissional ideal, responda a estas perguntas:
- Quais são as metas de sua empresa? Quais as principais realizações esperadas por sua empresa em curto, médio e longo prazo? Baseados nisso, quantas pessoas são necessárias para atingir este objetivo?
- Quais as características técnicas e pessoais necessárias? Esta pergunta trará as respostas para definir a experiência, a senioridade e o pacote de remuneração deste profissional. Pontue o que é essencial e o que é interessante para este profissional ter.
- Quais serão as principais atividades que se espera do profissional, alinhadas às metas da empresa? Qual é a perspectiva de carreira deste profissional? Alinhar as expectativas neste ponto e ter transparência será fundamental na hora da contratação.
Sempre se busca o profissional com maior número de competências e uma larga experiência. Porém, o bom recrutador deve avaliar quais são as competências essenciais para determinada função. Contratar um profissional altamente qualificado e utilizar somente parte do seu potencial poderá frustrá-lo e prejudicar tanto ele como também seu contratante. E o contrário também não é interessante. Contratar alguém com uma remuneração abaixo do mercado pode ser um grande risco de perdê-lo, principalmente em uma economia aquecida.
Dica 3: Seja rápido na tomada de decisões na hora de contratar
Em uma economia aquecida, um grande número de empresas está contratando. Por isso, tenha ciência que muitos candidatos podem estar participando ou sendo cotados por diversas companhias ao mesmo tempo. É preciso se adequar a esta situação e contratar de maneira rápida e eficiente.
Avalie o que pode ser feito diferente no seu processo de recrutamento a fim de não deixar escapar bons talentos para o concorrente. Fábio Saad, gerente que recruta para o mercado financeiro, dá as seguintes dicas:
- Monte uma agenda eficiente de entrevistas. Procure conhecer todas as suas opções de candidatos na mesma semana ou em dias próximos. Envolver recursos humanos e linha de negócio na mesma entrevista pode ser uma boa opção. Clientes que demoram mais de uma semana entrevistando um grupo de candidatos podem se dar conta, ao final das entrevistas, que já perderam os candidatos entrevistados nas primeiras semanas.
- Se você achou um bom candidato, que tenha as características técnicas e pessoais, não tenha medo de contratar. Buscar novos candidatos e esperar para ver mais opções pode acarretar na perda dos primeiros candidatos. Numa economia em recessão, era comum conhecer mais candidatos para se fazer a escolha, mas a dinâmica de mercado mudou. Quem se adaptar mais rápido levará vantagem neste ponto.
Dica 4: Invista em retenção
Os principais motivos que fazem um profissional mudar de emprego são: perspectiva de carreira, relação com gestor, qualidade de vida e remuneração.
Se você ainda não elaborou um plano de carreira para seus funcionários, cuidado. Os bons profissionais estão em constante evolução e precisam ter certeza que, durante sua passagem por determinada empresa, a relação entre ambos seja de ganha-ganha.
Ofereça treinamentos adequados para colaboradores de diferentes níveis, permitindo que todos consigam desenvolver suas competências específicas. Ao mesmo tempo em que os treinamentos são interessantes para os funcionários mais novos, os programas devem ser úteis também aos mais experientes na empresa.
Numa economia aquecida, a demanda do mercado fará com que os bons profissionais sejam abordados para participar de processos de seleção e, se não estiverem motivados, envolvidos e comprometidos com seu atual empregador, o risco de mudarem de emprego é alto.
Cuide de seu programa de recompensas. As pessoas desempenham melhor quando seus esforços são reconhecidos. Mas atenção, estas gratificações não precisam necessariamente ser financeiras. Dias adicionais de folga, elogios em publicações da empresa ou a oportunidade de expandir as responsabilidades no cargo são apenas três exemplos de recompensas não-financeiras.
Dica 5: Permita uma melhor qualidade de vida
Pense em como você está contribuindo para que os seus colaboradores tenham qualidade de vida dentro e fora do trabalho. Ajudá-los a desenvolver atividades fora do escritório, como esportes e cursos, e ter mais tempo com a família é importante. Mas, de acordo com Roberto Britto, gerente de recrutamento de engenharia, também é de igual importância avaliar como a empresa está promovendo um clima saudável, principalmente dentro de suas instalações.
Aspectos como o ambiente físico, atividades de integração e até mesmo a forma como é feita a cobrança por resultados, podem deixar um clima amigável ou não. Um relacionamento com superiores e pares prejudicado pode ser muito negativo para a produtividade de ambos. Não basta propiciar um horário flexível ou atividades extras fora da empresa, se dentro dela o clima continua pesado. O equilíbrio entre a vida profissional e pessoal deixará seus funcionários mais motivados, mais tranqüilos para se concentrarem no trabalho e, consequentemente, mais produtivos.
Dica 6: Invista em comunicação e confronte a realidade
Alinhar expectativas entre gestor e colaborador deve ser um exercício constante. A comunicação deve ser clara, transparente e precisa. Projetos, metas e indicadores são definidos, mas tenha certeza de que tudo foi compreendido de maneira clara e objetiva. Mantenha um canal aberto com seus colaboradores e tenha certeza que eles se sentem à vontade em compartilhar problemas e soluções.
Segundo Sócrates Melo, gerente de recrutamento de temporários, confrontarem a realidade é fundamental para uma relação produtiva. Alinhar as expectativas, ser transparente e dar feedbacks constantes permitirão que, tanto o gestor, quanto os colaboradores saibam exatamente como poderão evoluir. É preciso saber o quanto uma pessoa realmente está feliz fazendo determinado trabalho e qual é a sua motivação. Sabendo disso, é preciso alinhar o que a empresa pode oferecer em termos de desafios e oportunidades e o que o colaborador precisa desenvolver em contra partida. Trazer o gestor e o colaborador para a realidade alinhará expectativas, evitará surpresas e fará com que sua equipe esteja alinhada com os objetivos da empresa.
Dica 7: Mantenha sua estratégia e não descuide da qualidade
É importante ter cuidado e não cair em tentação de mudar a sua estratégia ou o posicionamento da sua empresa no mercado apenas porque a economia está aquecida. Faça os ajustes necessários de acordo com o cenário vigente, mas siga sempre sua estratégia de médio e longo prazo. Isso será fundamental para você conseguir priorizar corretamente suas decisões de investimentos e garantir seu posicionamento no mercado.
Mantenha ou melhore o nível de qualidade que seus clientes estão acostumados. O volume de vendas aumentando consideravelmente e a pressão por resultados podem fazer com que a qualidade do trabalho fique prejudicada. Mas cuidado, você pode estar perdendo muito mais clientes insatisfeitos do que antes e não estar percebendo isso, por causa do aquecimento do mercado.
Estude os seus concorrentes e veja quais as possíveis ameaças e oportunidades do momento. Não adianta você ter um bom produto ou serviço se o seu concorrente oferece algo melhor.

 

Acessos ao site: 941226