Conteúdos

 

 

 

 

 

 

Home > Conteúdos

Especialistas ensinam o que fazer durante uma entrevista de emprego
06/03/2014

Concentração é ponto importante durante conversa com selecionador.

Os processos seletivos e as entrevistas de emprego estão cada vez mais elaborados. As perguntas priorizam o raciocínio do candidato à vaga e também estimulam a criatividade.

Segundo o consultor Fernando Capella, especialista em organizar processos seletivos, alguns cuidados são essenciais para uma boa entrevista:

- Planejar com antecedência o trajeto até a entrevista de emprego e chegar meia hora antes.

- Escolher bem a roupa que usar. Na dúvida, começar pelo que não se deve usar: tênis, calças jeans, mini saias, vestidos curtos e agarrados. É importante mostrar o profissional que é e não a moda que curte.

- Jamais atender ao celular.

- Evitar gírias e palavrões.

- Controlar o nervosismo e a postura, olhar o selecionador nos olhos, não balançar a cadeira e não mexer nos cabelos.

- Não mentir. O selecionador tem como descobrir a verdade.

“Setenta por cento dos candidatos, infelizmente, caem nesses erros. Se eles tiveram definido claramente o que pretendem como objetivo de carreira, fica mais fácil alinhar a sua postura profissional, os seus interesses. Tudo isso acontece e flui de maneira mais harmônica”, alerta Fernando.

A consultora Regiane Soares chama a atenção para uma outra qualidade observada nas entrevistas: a concentração. Muitas vezes, o selecionador faz “pegadinhas” com o entrevistado, para saber se ele realmente serve para aquela vaga. “Perguntas como: ‘quantas bolinhas cabem nessa sala?’, ‘quantas mangueiras têm em São Paulo?’. Uma pergunta que, com certeza, o próprio entrevistador não sabe a resposta, o que ele quer conhecer é o raciocínio do candidato”, explica.

Quando o candidato é pego em perguntas como essas, o melhor é construir um raciocínio para respondê-las. Por exemplo, na questão das bolinhas, uma boa resposta seria: ‘qual é a medida dessa sala?’. Caso não saiba a resposta, o ideal é admitir que não tem condições de responder. “Tentando manter a calma, porque realmente é uma pergunta que não tem resposta”, orienta Regiane.

De acordo com Sergio Sabino, diretor de marketing e planejamento comercial do PageGorup, consultoria em recrutamento executivo, é importante não só responder o que o entrevistado pergunta, mas também questionar algumas coisas e mostrar interesse em relação à oportunidade. Assim, o entrevistador se sente confortável e percebe que a pessoa é esforçada e motivada.

Um problema muito comum durante as entrevistas são os erros de português cometidos tanto nos testes escritos quanto nos orais. Uma forma de evitar esses erros é treinar, fazer curso livre e estudar muito.

Segundo a psicóloga Daniela Brito, os erros mais comuns são acentuação, pontuação e ortografia. Segundo a especialista, é importante fazer uma autoavaliação, para saber se é capaz de escrever bem, de acertar o básico. Depois, é buscar ajuda profissional e cursos voltados para a área.

O CIEE (Centro de Integração Empresa Escola), por exemplo, oferece oficinas de gramática que estimulam os alunos a treinarem o português e é voltada para o mercado de trabalho.

Fonte: Jornal Hoje/Blog Televendas & Cobrança

 

Acessos ao site: 941440