Conteúdos

 

 

 

 

 

 

Home > Conteúdos

Quero ser um profissional inovador
26/08/2013

 

 

Fábio Bandeira de Mello

 

 

Ser um profissional inovador certamente é um quesito que faz a diferença. Em um capítulo de Inovação e Espírito Empreendedor, Peter Drucker lembrou de um poeta latino-americano que costumava chamar o ser humano de “rerum novarum cupidus” , ou seja, um “ganancioso por coisas novas”. 
O lendário pai do management moderno recomendava que a administração de empresas deveria fazer de cada membro da equipe um “rerum novarum cupidus”. Você é um profissional desse tipo?
Dieter Kelber, diretor-executivo do Insadi (Instituto Avançado de Desenvolvimento Intelectual), ressalta que o profissional inovador consegue olhar para um trabalho que é feito há anos da mesma maneira e transformar o processo em algo mais rápido, mais produtivo, com maior valor para o cliente.

Sabemos que ninguém nasce pronto. É preciso ter vocação e associar algumas práticas do ‘pensar diferente’ e do questionar”- ensina Kelber. “As pessoas inovadoras têm traços de criatividade, rebeldia, foco, perseverança e, principalmente, acreditam naquilo que propõem.”

Felipe Scherer, professor da ESPM/RS e sócio da 
Innoscience Consultoria em Gestão da Inovação, acredita que os profissionais com o perfil inovador ganham mais destaque com o aumento da competição entre as empresas, maiores exigências dos consumidores e a otimização das atividades organizacionais. “A criatividade associada ao conhecimento vai permitir a criação de novas ideias com potencial de se tornarem inovações”. 
Scherer relata que “algumas empresas tem criado cargos como gerente e diretores de inovação. Porém, o papel de contribuir com a inovação não deve ser restrito a esses cargos, já que todos na organização devem contribuir com esse processo”.


Confira as sete dicas que os dois especialistas revelam para o profissional se tornar inovador:

1) Querer é o primeiro passo para inovar. Se temos a convicção ou sentimento que somos inovadores, devemos procurar estar sempre onde existem as condições para que nos desenvolvamos nessa direção.
2) Ter curiosidade, possuir uma mente aberta, aceitar correr riscos, ser persistente e flexível são características desse tipo de profissional. 
3)
 Ser inovador não é pura magia. A boa ideia nasce da combinação da observação ou do conhecimento. Conhecer o passado, olhar o presente e pensar (antever) o futuro são ingredientes que fazem surgir às boas ideias.
4)
 Busque definir sua Estratégia de Inovação, esclarecendo os tipos e as temáticas desejadas.
5) São três fatores: oportunidade/problema + criatividade + conhecimento. Aí é que a capacidade criadora entra em ação pela busca de novas alternativas em relação às propostas existentes no mercado.
6) Utilize os relacionamentos para gerar e desenvolver as inovações. 
7) 
Se você tem essa personalidade, o ideal é buscar empresas onde a prática da inovação é uma realidade. Ideias que não podem ser postas em prática trazem frustrações.


Veja também o passo a passo para o processo de criação dar certo e virar uma inovação, segundo o professor Felipe Scherer:

O processo pode ser dividido em quatro diferentes etapas: idealização, conceituação, experimentação e implementação. 

1. Idealização: Essa etapa é a porta de entrada para as novas ideias, fruto da identificação das oportunidades, da criatividade e do conhecimento. É a etapa mais "soft", onde estamos em busca de criação e novidade, sempre alinhada com a nossa estratégia de inovação.
2. Conceituação: 
Trata do aprofundamento dessa ideia, buscando desenvolver diferentes dimensões desse conceito tais como questões técnicas de execução, disponibilidade de tecnologia, pessoas e outros recursos necessários. 
Uma boa dica, por exemplo, é utilizar uma técnica chamada de Polinização Cruzada, onde a ideia é "jogada" de um lado para outro na organização para que diferentes pessoas possam contribuir com a mesma, criando um conceito mais robusto.
3. Experimentação:
 Lida com a busca da redução das incertezas normalmente associadas a uma iniciativa de inovação. Elas podem ser mercadológicas, técnicas, operacionais, ambientais e de qualquer outra natureza. O espírito dessa etapa é aprender para então preparar a organização à Implementação da ideia em larga escala.
4. Implementação: Colocação em prática do projeto, utilizando-se de todos os recursos disponíveis para a ideia dar certo.
As qualidades fundamentais de um inovador é ter total criatividade focada no negócio ou processo no qual o profissional está inserido e pensar diferente, sem medo de romper com modelos pré-existentes. Esse é o tipo de profissional essencial em qualquer organização. É em busca desse profissional que empreendedores e headhunters estão em constante busca.

Você está pronto para inovar?

 

Acessos ao site: 941385