Conteúdos

 

 

 

 

 

 

Home > Conteúdos

13 erros no LinkedIn que você deve evitar
17/09/2012

Perfil sem foto ou com foto inapropriada, erros de grafia e informações desatualizadas são os principais inimigos de um perfil atrativo na rede social, diz especialista.
Não é de hoje que especialistas em carreira aconselham tomar cuidado com o que é postado nas redes sociais, principalmente naquelas com foco profissional, como é o caso do LinkedIn.
Especialista no assunto, Kim Brown é diretora assistente do Departamento de Carreira da University Syracuse, em Nova York.  Boa parte do seu trabalho consiste em vasculhar os perfis de alunos da instituição para garantir que eles tenham um perfil atrativo aos olhos de recrutadores e headhunters.
Confira abaixo os erros mais comuns em perfis do LinkedIn que Kim revelou ao site Business Insider.
1- Erros de grafia      
Kim conta que já viu diversos casos de pessoas que escrevem nomes de empresas, cargo e mesmo nomes de outros usuários com a grafia errada no LinkedIn.
Infelizmente, o LinkedIn não possui um corretor automático para esse tipo de erro, mas há diversas formas para você fazer essa revisão. Os navegadores Safari, Chrome e Firefox, por exemplo, têm recursos que sublinham palavras incorretas em vermelho. Moral da história: seja tão cuidadoso no seu perfil no LinkedIn como você seria se estivesse escrevendo um currículo impresso.
2- Perfil sem foto
Adicionar uma foto no seu perfil pode fazer uma diferença enorme para o recrutador.
Estudos comprovaram que perfis com fotos têm mais chances de serem clicados no LinkedIn do que aqueles que não têm.
A empresa The Ladders produziu uma pesquisa e descobriu que recrutadores gastam mais tempo analisando uma foto do usuário no LinkedIn do que revisando suas qualificações. E o pior: se o perfil está sem foto, as pessoas tendem a assumir que é porque o profissional é feio. Por isso, para evitar especulações, adicione uma foto.
3- Perfil com foto inapropriada
Brown explica que é importante não confundir Facebook  com LinkedIn. O primeiro é para fotos pessoais, o segundo para as profissionais. A diretora assistente diz que é comum ver pessoas que disponibilizam links para seu perfil do Facebook no LinkedIn. Não faça isso. A melhor opção é manter os dois perfis separados.
4- Não pensar no melhor título para seu perfil
Kim diz que vê muitas pessoas usando simplesmente “Estudante da PUC-SP” como título profissional no LinkedIn. Ela também comenta sobre muitos profissionais que procuram emprego com cargos antigos no título. “Se você está buscando uma oportunidade e tem um título impreciso ou desatualizado, o recrutador não vai entender que você está à procura de emprego”, diz ela.
A melhor solução para esse problema é especificar seu curso ou área de atuação, por exemplo: “Estudante de Administração com Ênfase em Marketing na ESPM” ou “Profissional com experiência em Publicidade e Propaganda”. Lembre-se também de sempre ser honesto no título, mesmo se estiver desempregado.
5- Você não está se conectando com outros profissionais por meio de grupo no LinkedIn
Mandar mensagens para pessoas que você não conhece via LinkedIn pode ser um pouco estranho. Mas se você estiver decidido a fazer isso, tente fazer isso por meio de um grupo em comum. A estratégia ajuda a quebrar o gelo, explica a especialista.
Por exemplo, se você for um ex-aluno da USP, mande uma mensagem para o colega que quer se conectar dentro do grupo de Ex-alunos da Instituição antes de enviar uma mensagem direta (InMail).
6- Não personalizar pedidos de conexão
Quando se conectar com alguém pela primeira vez no LinkedIn, não use apenas a opção de mensagem genérica, “Eu gostaria de adicioná-lo à minha rede profissional no LinkedIn.”
“Gaste alguns minutos para escrever um recado personalizado”, indica Kim. Essa atitude faz com que o destinatário esteja mais aberto e a mensagem fica com menos cara de spam.
Além disso, nunca minta sobre como você conhece alguém. Mentir é o caminho certo para acabar com as suas chances de se conectar.
7- Você está se conectando pelo seu smartphone
Nem todos sabem, mas o aplicativo mobile do LinkedIn não permite que você personalize a mensagem de pedido de conexão com outros profissionais.
Segundo a especialista, o melhor jeito de se conectar é usando o computador - e não o celular -, pois todas as ferramentas da rede social estarão disponíveis. Além disso, pelo telefone, há mais chances de cometer erros de digitação e grafia.
8- Esqueceu de criar uma URL personalizada para seu perfil
Segundo Kim, uma URL cheia de números e letras aleatórias tem uma aparência horrível. Para customizar sua URL, selecione a opção “Configurações” logo abaixo do seu nome, no canto superior esquerdo da página. Depois, clique em “Editar seu perfil público” e selecione a opção URL de Perfil Público para customizar seu link. Tente cadastrar uma URL parecida com seu nome e sobrenome, sempre tentando evitar apelidos e abreviações.
9- Deixou o resumo em branco
Preencher o sumário do seu perfil no LinkedIn é crucial se você quer aparecer em buscas de headhunters.
"O sumário é a parte mais importa de um perfil”, diz Kim. “Adicione a seu sumário termos e palavras-chave que são relacionadas com sua profissão. Assim, os recrutadores poderão achá-lo mais facilmente, explica a especialista.
10- Não selecionar a opção anônimo antes de acessar outros perfis várias vezes
"Se você está procurando um emprego e acessa o perfil da mesma pessoa 97 vezes no período de duas semanas, é melhor selecionar a opção de anonimato”, aconselha Kim Brown.
Qualquer usuário do LinkedIn pode ver quem acessou seu perfil recentemente, mas se você limita as configurações do seu perfil público, menos informações sobre você serão reveladas para a pessoa que você estava pesquisando. Por outro lado, você também não terá acesso a quem está visitando o seu perfil.
11- Você não dividiu seu perfil em tópicos
Muitos perfis se resumem a uma loooooooooonga página, sem nenhum tipo de divisão. Saiba que LinkedIn oferece uma opção com “tópicos”, que permite fazer uma divisão do currículo, ressaltando cargos importantes e fazendo a navegação mais fácil para quem estiver interessado em te recrutar.
Por exemplo, ao invés de listar todas as suas experiências profissionais em um único tópico, considere dividi-las em partes, como voluntariado, certificados e empresas.
12- Você lista “habilidades” que o LinkedIn não reconhece
Há muitas habilidades que o LinkedIn reconhece automaticamente com as primeiras letras da palavra. Optar por termos pouco usuais não é uma boa escolha, pois isso diminui a chance de recrutadores encontrarem o seu perfil. Para aumentar as chances de ser abordado, prefira as milhares de palavras cadastradas no sistema do site.
13- Faltam (boas) recomendações
"Frequentemente, as recomendações são muito genéricas”, diz Kim. Por exemplo, ‘Pedro seria uma excelente contratação para seu escritório porque ele é um profissional esforçado e uma aquisição incrível para o escritório’. Só isso? Por que não tentar escrever uma mensagem mais detalhada, contando sobre um projeto específico em que trabalharam juntos?
Garanta que suas recomendações se refiram apenas a você, sem parecer um texto genérico que poderia estar falando de qualquer outro candidato.
 

 

Acessos ao site: 984764